Guia de Exames do Tiezzi

ANTI - MÚSCULO LISO
Código do Exame:
muscu
SUS:
0202030580
CBHPM:
4.03.06.39-9
Sinônimos:
Ac. p/ Hepatite crônica, anti-glomérulo e actina

Produção do Exame

Tipo do Material:
soro manual
Volume:
2,0 ml
Temperatura:
Refrigerado
Prazo do Resultado:
4 dias
Método:
Imunofluorescência Indireta

* Para exames com prazo informado em dias, este será considerado em dias úteis. Considerar o prazo a partir do recebimento da amostra no Núcleo Técnico Operacional (NTO). Amostras recebidas após as 17 horas terão os prazos iniciados no dia útil posterior

Instruções

Informações de preparo e coleta:
Orientações de coleta: Jejum não necessário 1 - Coletar amostra em tubo gel; 2 - Aguardar 30 min para retração do coagulo; 3 - Realizar a centrifugação em 3.200 RPM por 12 min; 4 - Encaminhar amostra sob refrigeração, de 2ºC a 8ºC.

Interpretação

Interpretação do exame:
O auxílio ao diagnóstico das doenças hepáticas autoimunes pode ser feito com a pesquisa de autoanticorpos que estão presentes na maioria dos casos de hepatite autoimune e de cirrose biliar primária, sendo os principais autoanticorpos associados: anticorpos anti núcleo, anti músculo liso, anti actina, anti LKM, anti mitocôndria, anti SLA e anti LP. Com relação aos anticorpos anti músculo liso são predominantemente do tipo IgG, e, sua pesquisa é uma forma indireta de pesquisar os anticorpos anti actina, sendo realizada por Imunofluorescência em cortes de estômago e rim de rato, procurando-se reatividade contra estruturas na muscularis mucosae, nas paredes dos vasos sanguíneos, nos glomérulos e principalmente, nas fibrilas intracelulares dos túbulos renais, que parecem guardar relação com a actina. De maneira alternativa podem ser pesquisados anticorpos anti actina também por Imunofluorescência indireta, em cultura primária de fibroblastos humanos, cuja presença é considerada o melhor marcador de hepatite autoimune, títulos acima de 1/10 são encontrados em cerca de 60% dos pacientes com hepatite autoimune tipo 1. Indicação: Avaliação de pacientes com doença hepática crônica, nos quais haja suspeita diagnóstica de hepatite autoimune crônica ativa. Interpretação clínica: Títulos acima de 1/160 são significativos para o diagnóstico de hepatite autoimune tipo 1. Nas outras doenças hepáticas os títulos são mais baixos, em geral em torno de 1/80. O diagnóstico diferencial deve incluir outras entidades como cirrose biliar primária, hepatites virais crônicas e hepatites crônicas alcoólicas. Sugestão de leitura complementar: Czaja AJ, Homburger HA: Autoantibodies in liver disease. Gastroenterology 2001;120:239-49

Guia de Exames do Tiezzi

ANTI - MÚSCULO LISO
Código do Exame:
muscu
SUS:
0202030580
CBHPM:
4.03.06.39-9
Sinônimos:
Ac. p/ Hepatite crônica, anti-glomérulo e actina

Produção do Exame

Tipo do Material:
soro manual
Volume:
2,0 ml
Temperatura:
Refrigerado
Prazo do Resultado:
4 dias
Método:
Imunofluorescência Indireta

* Para exames com prazo informado em dias, este será considerado em dias úteis. Considerar o prazo a partir do recebimento da amostra no Núcleo Técnico Operacional (NTO). Amostras recebidas após as 17 horas terão os prazos iniciados no dia útil posterior

Instruções

Informações de preparo e coleta:
Orientações de coleta: Jejum não necessário 1 - Coletar amostra em tubo gel; 2 - Aguardar 30 min para retração do coagulo; 3 - Realizar a centrifugação em 3.200 RPM por 12 min; 4 - Encaminhar amostra sob refrigeração, de 2ºC a 8ºC.

Interpretação

Interpretação do exame:
O auxílio ao diagnóstico das doenças hepáticas autoimunes pode ser feito com a pesquisa de autoanticorpos que estão presentes na maioria dos casos de hepatite autoimune e de cirrose biliar primária, sendo os principais autoanticorpos associados: anticorpos anti núcleo, anti músculo liso, anti actina, anti LKM, anti mitocôndria, anti SLA e anti LP. Com relação aos anticorpos anti músculo liso são predominantemente do tipo IgG, e, sua pesquisa é uma forma indireta de pesquisar os anticorpos anti actina, sendo realizada por Imunofluorescência em cortes de estômago e rim de rato, procurando-se reatividade contra estruturas na muscularis mucosae, nas paredes dos vasos sanguíneos, nos glomérulos e principalmente, nas fibrilas intracelulares dos túbulos renais, que parecem guardar relação com a actina. De maneira alternativa podem ser pesquisados anticorpos anti actina também por Imunofluorescência indireta, em cultura primária de fibroblastos humanos, cuja presença é considerada o melhor marcador de hepatite autoimune, títulos acima de 1/10 são encontrados em cerca de 60% dos pacientes com hepatite autoimune tipo 1. Indicação: Avaliação de pacientes com doença hepática crônica, nos quais haja suspeita diagnóstica de hepatite autoimune crônica ativa. Interpretação clínica: Títulos acima de 1/160 são significativos para o diagnóstico de hepatite autoimune tipo 1. Nas outras doenças hepáticas os títulos são mais baixos, em geral em torno de 1/80. O diagnóstico diferencial deve incluir outras entidades como cirrose biliar primária, hepatites virais crônicas e hepatites crônicas alcoólicas. Sugestão de leitura complementar: Czaja AJ, Homburger HA: Autoantibodies in liver disease. Gastroenterology 2001;120:239-49

Guia de Exames do Tiezzi